Sugestões de Leitura > Os Curdos



Curdos

Norte do Iraque
 
Os curdos do norte do Iraque não tiveram mais êxito do que os curdos da Turquia. Sob controle britânico, revoltas curdas foram reprimidas em 1919, 1923 e 1932.
Após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), os curdos iraquianos passaram a lutar de maneira intermitente contra Bagdá


Entre 1987 e 1988, cerca de 182 mil curdos iraquianos foram assassinados por ordem de Saddam, em campanhas denominadas Anfal, durante a Guerra do Irã (1980-1988). A maioria morreu após bombardeios com armas químicas em cidades predominantemente curdas.
O Curdistão iraquiano, no norte do país, obteve autonomia do ditador Saddam Hussein com a ajuda americana em 1991, e vive mais de uma década de desenvolvimento econômico. Há incidentes violentos, mas são casos isolados, em níveis incomparáveis com os de Bagdá.
 
A luta continua
 
A queda de Saddam aumentou a gana por autonomia, e em setembro de 2006, o presidente do Curdistão iraquiano ordenou que a bandeira curda fosse colocada nos prédios do governo, no lugar da bandeira do Iraque.
Cerca de 3.500 rebeldes do PKK estão baseados no norte do Iraque, onde preparam ataques contra alvos civis e militares na Turquia. Acredita-se que alguns milhares de separatistas estão na Turquia.
Ao menos 40 militares turcos morreram apenas no mês de outubro. O governo de Erdogan enfrenta forte pressão interna por uma ação militar contra o PKK no norte do Iraque.
Os países com populações curdas significativas temem que o desenvolvimento, prosperidade e autonomia do Curdistão iraquiano fomentem o sentimento separatista. 

Fonte: Folha de São Paulo apud Reuters e Associated Press
0 Responses

Postar um comentário